domingo, 26 de setembro de 2010

Universalismo Cristico

QUEM SOMOS? DE ONDE VIEMOS? QUAL O OBJETIVO DA VIDA?

Essas perguntas sempre estiveram presentes, mas com o passar dos anos, décadas e séculos, a humanidade foi pouco a pouco ampliando a consciência e exigindo um modelo que respondesse a estas perguntas, o homem negligência o seu lado espiritual, e os 5 sentidos só permite ter a compreensão do que lhe cerca.

A humanidade encontra-se limitada por religiões e por um saber espiritual incompleto para compreender o Criador e seu grande plano evolutivo, porém a compreensão de cada um está diretamente relacionada à evolução espiritual e cada um procura negar inconscientemente para se manter na zona de conforto.

A religião é um conjunto pré-estabelecido de regras impostas por alguém que se intitula porta voz de Deus, é especificamente a submissão a um deus que não se pode precisar se é o verdadeiro. A submissão religiosa pouco acrescenta em termos de evolução, talvez apenas freie os instintos mais animalizados.

Atualmente o que vemos são pessoas entorpecidas, colocando sua ventura espiritual nas mãos de líderes religiosos, ao invés de segurar firme as rédeas de seus próprios destinos.
Quem pode definir o que é real? Ou mesmo dizer qual religião está mais próxima da verdade? A partir do momento que alguém afirma que sua verdade é melhor, são gerados sentimentos de inimizade, arrogância e intolerância, elas jamais deveriam utilizar instrumentos de bandeira separativista.

As religiões estão obsoletas, o tempo delas na formação espiritual do homem está se encerrando, pois já não atendem mais ao progresso espiritual da humanidade e às metas a serem alcançadas no terceiro milênio. Elas foram úteis ao seu tempo, mas hoje em dia precisam ser reformuladas. A ciência evolui rapidamente, mas os nossos conceitos sobre Deus e espiritualidade se encontram no passado. A imensa maioria, até mesmo os que se dizem fiéis a alguma religião pensa somente nos próprios interesses, em todos os cenários da vida humana vemos corrupção, intrigas, ciúmes, inveja, ódio, vingança e todo tipo de sentimento anti-crístico. Isso não é apenas fruto da maldade humana, mas uma conseqüência natural da alienação espiritual em que vive o mundo. Atualmente as pessoas procuram se espiritualizar para resolver seus problemas pessoais e não para crescer ou ajudar na construção de um mundo melhor.

O SENTIMENTO DE ESPIRITUALIDADE ILUMINA, ENQUANTO O DE RELIGIOSIDADE ESCRAVIZA.

No momento atual, torna-se urgente compilar uma atualização dos tratados espirituais da humanidade, de todas as culturas, de todos os povos, de forma restrita e universal.
A espiritualidade diz respeito aos sentimentos íntimos, ao que chamamos de uma atitude consciente de crescimento interior, é como as pessoas se sentem em relação a Deus.

O homem espiritualizado é um ser livre em busca de repostas, respostas essas que as religiões não podem mais oferecer.

A ESPIRITUALIDADE DEVE PROVOCAR REFLEXÃO, SE NÃO FOR ASSIM PERDE O SENTIDO.

Com o progresso evolutivo-espiritual, as novas gerações, os filhos da NOVA ERA, passarão a se dedicar à busca da espiritualidade, pois as religiões não mais fornecerão respostas, pois eles pensarão mais no conjunto do que nas próprias crenças pessoais. Os novos habitantes da terra são almas libertas da ignorância e sedentas pelo conhecimento. Eles precisam de um canal que rompa paradigmas e que compreenda mais além, a meta agora é trabalhar para que compreendam a verdade, e não apenas cumpram rituais de alguma organização religiosa.

A proposta atual é unificar os princípios religiosos, mantendo o que é coerente, e rompendo com o que termina por escravizar, ao invés de libertar. Todos estão corretos dentro de seu nível de entendimento e evolução, e a ampliação da consciência deve ser um processo sereno e harmonioso. A tarefa mais difícil será esclarecer aqueles que estiverem arraigados às suas crenças e que não desejem pensar, pois ainda estamos inseridos em uma compreensão espiritual, limitada e alienante, entregues à religiões que estipulam rituais que nada influenciam na reforma interior.

É importante promover um processo de “despertar” na mente humana, por meio de uma linguagem clara e desprovida de cacoetes religiosos. Estamos entrando em uma nova era, onde a fé raciocinada será um elemento fundamental para a verdadeira espiritualização. Os seres eleitos para habitar a terra, nossos filhos e netos, são almas avançadas que possuem uma compreensão maior do Criador. Logo temos obrigação de oferecer-lhes um terreno espiritual livre de dogmas, para que possam expandir suas mentes. Espiritualizar-se é abrir consciências para o conhecimento de uma nova e profunda visão espiritual.

UNIVERSALISMO CRÍSTICO

UNIVERSALISMO por que abriga o saber de todas as religiões, com o objetivo de transformá-las para o futuro, até que ocorra a NOVA ERA.

CRÍSTICO porque reúne a mensagem de todos os Avatares do Cristo, entre os quais estão Zoroastro, Krishna, Moisés, Buda, Confúcio, Jesus, Maomé, Madre Teresa de Calcutá, Chico Xavier entre outros.

A filosofia do Universalismo Crístico é dinâmica e evolucionista, estimula a construção da compreensão da verdade, liberta consciências dos dogmas religiosos. As religiões individualmente não possuem recursos para isso, pois a busca espiritual deve ser interior. Não pretendemos mudar crenças ou a forma de pensar, iremos apenas apresentar um novo modelo, pois somente trabalhando de forma independente às religiões é que atingiremos a todos, inclusive ateus e agnósticos.

Os três alicerces principais do Universalismo Crístico:

1) Amar o próximo como a si mesmo, buscando cultivar virtudes morais de forma verdadeira e incondicional.
2) Crença na reencarnação do espírito e do carma, pois sem esses princípios não existe justiça divina.
3) A busca incessante pela sabedoria espiritual, aliada ao progresso filosófico e científico, com o objetivo de promover a evolução integral da humanidade.

Muitos do que se sintonizarão com essa nova forma de compreensão espiritual provavelmente serão aqueles que se candidataram a esse trabalho no plano espiritual antes de reencarnar no mundo das formas.

Elas somente precisam ser despertadas no mundo humano.

O projeto é sobre uma nova visão espiritual para o futuro. Algo novo que trará uma visão bem clara sobre o que Deus espera do homem no mundo. Isso fará com que a humanidade desperte para a verdadeira finalidade da vida e promoverá um crescimento espiritual de todos, libertando-os da dor e do sofrimento, impostos por nossa própria ignorância espiritual. A proposta é que as pessoas não tenham mais religião, mas que busquem uma compreensão profunda e verdadeira sobre Deus.

Todos podem participar dessa caminhada rumo a luz crística, não importando qual religião, pois toda religião provém de Deus.

O objetivo não é realizar uma competição ou uma guerra de ideologias espirituais, é despertar as pessoas para essa busca, confrontando o homem com a sua própria crença de forma racional. Somente a fé raciocinada e compreendida realmente promove um crescimento interior e uma transformação para a luz, mas de forma alguma podemos impor nossas verdades sobre elas. Vamos nos espelhar em Jesus e os demais avatares, pois eles vieram ao mundo físico, não para fundar religiões dogmáticas, mas para traçar um roteiro de luz.

PARA ATINGIR O OBJETIVO AQUI APRESENTADO TEREMOS DE DEIXAR O NOSSO ORGULHO E PREPOTÊNCIA DO LADO DE FORA. AS NOSSAS VERDADES INDIVIDUAIS AQUI SERÃO TRATADAS APENAS COMO MERAS HIPÓTESES A SEREM DISCUTIDAS ENTRE TODOS COM O OBJETIVO DE UM CONSENSO.

A nossa meta jamais será obrigar alguém a acreditar no universalismo Crístico, entretanto não devemos nos furtar do dever de retirar o cabresto dos nossos irmãos, pois eles entregam seus destinos às religiões, que apenas estipulam uma serie de rituais simbólicos que pouco ou nada influenciam na verdadeira reforma interior de seus adeptos. Devemos procurar realizar um trabalho sério e que respeite as religiões. Não viemos para destruir, mas sim para promover uma evolução no modelo religioso vigente.

Pesquisas mostram que um número expressivo da população brasileira crê na reencarnação, mesmo sendo adepta de outra religião. A reencarnação sempre foi aceita entre antigas religiões e os sacerdotes iniciados desde os tempos da antiga Suméria. Mas essa crença não era compartilhada pelos poderosos, que achavam desconfortável a idéia de que poderiam vir a reencarnar como mendigo ou escravo. A crença espiritual das múltiplas existências era naturalmente indigesta para aqueles que desejavam manter-se no poder, e por isso ficou relegada ao universo dos sacerdotes. Com o passar dos anos, pelo desconhecimento espiritual e interesses obscuros, os cristãos foram descartando os conceitos sobre reencarnação do espírito e do carma, aceitos em todo oriente. Nas diversas traduções foi-se trocando o sentido das palavras, com o objetivo de aproximá-las dos interesses daqueles que começavam a dar força à religião nascente.

No século IV o concilio de Nicéia, 325 DC o imperador Constantino oficializou o segmento dos Paulinos como o verdadeiro Cristianismo. A partir daquele momento todos os demais segmentos foram perseguidos até serem extintos, os “livros hereges” forma destruídos sem piedade. Eis o primeiro capítulo de longos séculos de inquisição religiosa que chegaria ao ápice na Idade Média.

Se tivéssemos uma única vida o céu estaria abarrotado de irmãos desviados da pureza máxima. Colocar o nosso destino nas mãos de um Deus piedoso é muito mais fácil do que enfrentar as nossas falhas de caráter e vencer nossos vícios de conduta. O que nos “salva” não é a adoração a Deus, o que “salva” as nossas almas são as conquistas espirituais obtidas com nosso próprio esforço.

A NOVA ERA é basicamente o fim do homem religioso e o início do homem espiritualizado.

O Universalismo Crístico exige que sejamos filósofos e cientistas. Filósofos, por nos fazer pensar tudo que aprendemos no campo da religiosidade e aperfeiçoar esses ensinamentos para uma visão verdadeiramente espiritualizada. E cientistas, porque a realidade material e a espiritual não devem ser dissociadas. Será através do estudo científico que em breve a humanidade obterá as primeiras comprovações de que a vida após a morte é uma realidade, e não apenas mera fantasia de mentes simplórias. Esse avanço da ciência, associado à visão espiritual, permitirá que o homem do futuro desfrute de tecnologias ainda invisíveis aos seus cinco limitados sentidos físicos.

A humanidade do terceiro milênio será bem mais espiritualizada que a do passado e a do presente. O cidadão do terceiro milênio viverá procurando aliar a sua vida humana com a espiritual, diariamente.

Abram suas mentes, meus amigos!
Levem essas informações para casa e reflitam. È difícil aceitar mudanças estruturais em nossas crenças, mas reflitam sobre alguns aspectos das crenças religiosas que precisam ser repensadas e atualizadas. E se caso depois dessa reflexão nada mudarem suas convicções, não há porque se preocupar.
Aos que desejam prosseguir nessa busca devem auxiliar a manter essa mecânica: Amar ao próximo, estudar a reencarnação integrada a lei de causa e efeito e associar a sabedoria filosófica e científica as nossas pesquisas espirituais.

Eis a essência do Universalismo Crístico.

Esse texto é uma compilação do livro
Universalismo Crístico – O Futuro das Religiões
PARANHOS, Roger Bottini.
Editora Conhecimento

Nenhum comentário:

Postar um comentário